Startups: quais são os conhecimentos essenciais para aproveitar o boom de “unicórnios”?

Startups Aspectos Legais

Em 2019, cinco novas startups brasileiras foram avaliadas como unicórnio, ou seja, em US$ 1 bilhão de dólares ou mais. Além disso, o Brasil ficou em 3º lugar no ranking de países que mais criou unicórnios no mundo, ficando atrás apenas de Estados Unidos e China, segundo levantamento da americana Crunchbase. Um verdadeiro recorde para o Brasil!

“Estamos vivendo um cenário de altíssima incerteza, com infinitas possibilidades”, afirmou Flavio Pripas, investidor na Redpoint Ventures e diretor do Cubo até o fim de 2018, em entrevista à revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios, edição de agosto/2020. “Não consigo imaginar um momento melhor para criar uma startup.” Para o empresário, muito dessa aceleração se deu em decorrência de 4 fatores principais:

  1. Maturidade do mercado e dos empreendedores brasileiros;
  2. Nível de sofisticação dos fundadores comparável a empreendedores dos principais polos de inovação no mundo, como Israel e Vale do Silício;
  3. Aumento do nível de liquidez do mercado brasileiro; e
  4. Aumento das conexões e parcerias entre grandes corporações e startups.

Este cenário imposto pela pandemia do novo coronavírus apresenta, além de muitas incertezas, também um leque de desafios únicos. “Lidamos com pessoas vibrantes, inquietas e resilientes. Para acompanhar o dinamismo, agilidade e complexidade desse ambiente e seus negócios, o advogado precisa conhecer suas particularidades e estar disposto a aprender sempre,” afirma Marcella Costa, advogada com background nas áreas do Direito Societário, Contratual e Digital e uma das coordenadoras da STARTUP.OBA, área especializada em startups do escritório Opice Blum, Bruno, Abrusio e Vainzof Advogados Associados.

Já sob a ótica do empreendedor, Gisele Karassawa, advogada com sólida experiência em Propriedade Intelectual, Direito Contratual e Digital e também coordenadora na STARTUP.OBA, pontua que “os sócios de uma startup precisam ter a consciência de que um risco jurídico mal avaliado pode inviabilizar futuros investimentos ou impactar consideravelmente o valuation da empresa. O ambiente cada vez mais sofisticado exige do empreendedor um certo grau de familiaridade com aspectos jurídicos essenciais para conduzir uma negociação, para tomar decisões, realizar contratações eficientes e até mesmo proteger os seus ativos intangíveis.” 

Marcella Costa e Gisele Karassawa fazem parte do grupo de especialistas que ministram o curso ASPECTOS LEGAIS PARA START-UPS, oferecido pela Opice Blum Academy e recomendado para vários profissionais:

  • Responsáveis por startups em fase de ideação, operação e/ou em busca de investimentos externos;
  • Empreendedores em busca de conhecimento e capacitação;
  • Pessoas físicas interessadas em se tornar investidor-anjo;
  • Advogados(as) que visam conhecer os principais aspectos legais que envolvem o ecossistema das startups.

Em oito horas, o curso abordará os tópicos mais importantes relacionados a direito societário, direito tributário, contratos, propriedade intelectual e proteção de dados pessoais. Confira quando será a próxima edição desse curso e ganhe o conhecimento para fazer uma startup alçar grandes voos!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode utilizar as tags HTML e atributos a seguir:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.